terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Divagação Humorística 8 - Malcriado? Já foste.

Saudades? Suponho que não. Pois é meus amigos, após finalmente ter todas as tretas académicas tratadas, já posso voltar aqui para escrever e vos deslumbrar mais uma vez.

"Deslumbrar-nos com quê Ricardo, seu gajo bestial?"- perguntam vocês.

Com uma história encantadora que se desenvolveu aqui à dias em Tampa, na Flórida ( que para quem não sabe é nos EUA, e que para quem não sabe o que significa EUA, significa Estados Unidos da América, e que para quem não sabe o que são os Estados Unidos da América: pá, és uma caso perdido) de uma mãe chamada Julie de 50 anos que matou os dois filhos pela razão que muitos pais por vezes pensam em fazer, mas não têm coragem: Esta senhora matou os filhos porque eles falavam muito e eram "respondões". Pois é, já estava na altura de alguém se revoltar e abater esses trafulhas que falam muito e respondem mal, é que ninguém faz isso, por amor de Deus.

Para nos ajudar na compreensão da história, tomei a liberdade de realizar umas ilustrações bastante explícitas daquilo que aconteceu ( ou melhor, que eu acho que aconteceu, logo é mais provável de ser verdade), as ilustrações estão em inglês para tornar toda esta história mais autêntica e realística. 

"Após ter comprado uma pistola no início da semana, a norte-americana matou Beau, o filho de 13 anos, na quinta-feira, abatendo-o no carro com que o fora buscar ao treino de futebol. Segundo a homicida confessa, o disparo ocorreu depois de o filho lhe ter "respondido mal"."

Penso que vocês já sabem o que se segue ( BALÁZIO NA TESTA) por isso, decidi tirar as partes violentas desta ilustração.

"De seguida, Julie entrou em casa e disparou sobre a filha de 16 anos, Calyx, que estava a fazer os trabalhos de casa no quarto."

Nesta segunda já me deu vontade de demonstrar a violência na ilustração.

"A polícia foi alertada por Julie a quem esta tinha enviado mensagens de correio electrónico a dar conta da má relação com os filhos."


E pronto, foi esta a história. Para começar, já percebi porque é que os miúdos respondiam mal à mãe. Já viram os nomes que ela lhes deu? Beau e Calyx?! Eles devem ter jurado vingança eterna à progenitora. Até me admira ela ter mesmo que os matar, quando mais tarde ou mais cedo eles se suicidavam, com nomes daqueles.. Parecem nomes retirados de um filme de fantasia ou assim, enfim. Segundo, não discordo de todo com aquilo que a mãe fez: antigamente as crianças portavam-se mal, como castigo levavam uma reguada ou uns açoites no rabo. Visto que à medida que o tempo tem passado, os miúdos se portam pior, metem-se em drogas e álcool, roubam dinheiros aos pais.. por aí fora, é compreensível que os castigos comecem a ser piores, como aqui se evidenciou. Se bem que ela exagerou um bocado, devia ter começado mais ao de leve. Se fosse eu o pai, por exemplo:

Pai- "Então filho, já fizeste os trabalhos de casa?"

Filho- " Não."

Pai- " Mau, mas vais fazer certo?"

Filho- " Não. Eu faço o que eu quiser."

ZÁS! Corto-lhe logo a mão fora!

Pai- " Agora vai para o teu quarto, aprende a escrever com a esquerda e faz os trabalhos de casa." 

É simples, trata-se de boa educação. Ah e saber manusear uma arma ou duas.

(PS: É claro que a mãe foi presa e ao ser detida, começou a "tremer incontrolavelmente" e a murmurar coisas indecifráveis, como habitual nas mães.)




2 comentários:

  1. Desde já te congratulamos rapaz porque tens jeito pá coisa! E por coisa refiro-me, como é óbvio, ao teu talento para a cozinha de alta competição e não ao teu enorme potencial humorístico.

    Aproveita e visita o nosso blog, também ele extremamente soberbo. http://chronicsrus.blogspot.com

    ResponderEliminar